0

Q Magazine: Kasabian conversa novamente com a revista e revela mais detalhes do seu sexto álbum, incluindo faixas

Edição: Q Magazine, março 2017

2017 Preview – Como foi seu 2016? Serge Pizzorno estava tendo o melhor momento de sua vida e escrevendo seu “melhor álbum”. Isso deve ser finalizado em… qualquer minuto… agora.

Você falou com a Q Magazine em maio do ano passado e disse que o álbum estava quase finalizado. O que aconteceu?
Bom, em maio o álbum estava quase finalizado mas eu nunca tenho tempo de folga, então eu pensei, ‘Quer saber? Vou ter o Verão livre pela primeira vez na minha vida.’ Foi incrível. Eu casei, tive férias em anos e apenas vivi um pouco. Quando eu voltei em setembro, eu decidi esboçar sobre tudo. Eu fiz tudo em acústico pela primeira vez e tive essas lindas e elaboradas músicas mas comecei a rascunhar em excesso, levando isso pra outro nível. Eu escrevi outra faixa, que é incrível, e então duas semanas atrás eu compus uma das minhas melhores músicas.

Como se chama?
Bless This Acid House
. É uma beleza. É um tempo louco, com tudo que vem acontecendo – parecia que o mundo estava desmoronando a minha volta. Mas eu senti que todo mundo já tinha falado o suficiente, como se todo mundo tivesse tido seu momento de falar, então essa música é apenas pura energia positiva. Eu estive na casa de um amigo e ele tinha um poster [desenhado por Jeremy Deller] e eu pensei, “eu amei isso”, então escrevi uma música sobre. Mas agora eu acabei.

Acabou mesmo?
Não, acabei! Eu juro, é isso. Está perfeito.

Você tem algum ritual depois de terminar um álbum?
No último dia temos amigos próximos e tocamos o álbum dois dias seguidos e temos uma grande festa. Você precisa limpar seu cérebro. É uma experiência intensa fazer um disco, eu fico insano. Então eu acordo e me sinto horrível, mas também me sinto melhor, como ‘Está bem, já está feito, vamos para o próximo.’

Seu estúdio é nos fundos da sua casa – você já se pegou acordando no meio da noite pra testar alguma coisa?
Eu mudei meu modo de trabalhar dessa vez porque eu tenho costume de ficar por horas horríveis. Eu tentei me dar um horário de trabalho. É incrível o que você consegue fazer quando precisa finalizar – ‘precisa ser feito porque é hora de ir pra casa, cara.’ Normalmente às 4:30 [da tarde] você daria uma tragada e assistiria filmes por umas sete horas e então você gravaria guitarra de uma música às 3 da manhã, mas dessa vez foi tipo, ‘Merda, são 4:30, eu só tenho 1h e meia! Preciso continuar esse arranjo!’

O que você estava ouvindo enquanto fazia esse álbum?
Eu estava ouvindo Nirvana, The Stooges – Funhouse e Raw Power (álbuns do Stooges), isso é como uma guitarra deve soar. ESG foi a chave para mim. [Faixa do novo álbum] You’re In Love With A Psycho, uma música chamada Looking For Some Action e uma outra chamada 16 Blocks… todas tem esse tipo de groove, estilo Nova York, final dos anos 70 pós movimento punk acontecendo. Comeback Kid dá uma sensação meio mariachi (gênero musical popular do México) e também há um pouco de Sly & The Family Stone nisso. Literalmente há 10 minutos eu fiz uma nova intro pra isso…

Espera, você disse que tinha finalizado um minuto atrás?!
Ha! Te falar uma coisa, até ele estar nas prateleiras, não estará finalizado.

Existem outras faixas que você esteja envolvido no momento?
Tem uma faixa… o título é Ill Ray (The King). Tipo, “Ray down the local’s not very well, he’s always ill, but he’s the king,” sabe? Parece com Beastie Boys e Northern soul (movimento de dança e música no norte da Inglaterra) com um pouco da vibe de Justice. Muito emocionante. É uma canção de luta.

Ray é uma pessoa real?
Eu vou dizer que sim. Todo mundo conhece um cara que se acha garotão, com um rabo de cavalo e jaqueta de couro caído em um pub. Todos nós conhecemos esse cara. Porra, Ray! Ele é o rei!

Todo mundo estava pra baixo em 2016 por razões óbvias, mas pra você foi maravilhoso pelo que parece.
É louco. Eu casei, Leicester City gahou a Premier League e eu escrevi meu melhor álbum até então. Eu estava tão focado no estúdio e tendo um momento tão bom, de alguma forma isso tudo passou direto por mim. Era como se todo mundo estivesse tendo uma alucinação estranha com algum ácido. E eu estava ‘Beleza! Eu estou tendo um ótimo momento!’

Títulos de músicas anteriores divulgadas na Q Magazine 08/2016 – clique para ler:
You’re In Love With A Psycho, 24/7, Comeback Kid, Put Your Life On It, Good Fight, All Through The Night

_________

Contribuição: Fotos por Ian Claridge e Scan por Teco Edukator | Clique na imagem para ampliá-la.

 

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>